Início Bahia

Pesquisadores baianos desenvolvem projeto com drones que não precisam de condução humana

Imagem: Divulgação/Secti

Os drones são aeronaves não tripuladas que possuem variados tamanhos. Apesar de ter sido criada nos anos 60, a tecnologia só começou a ser desenvolvida a partir dos anos 80. Desde então, o equipamento passou por diversas atualizações. Compreendendo a importância do drone e buscando utilizá-lo para resolver problemas complexos, pesquisadores da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), sob coordenação do professor Marco Simões, desenvolveram uma pesquisa sobre drones autônomos, ou seja, que não precisam ser direcionados por humanos.

A equipe de estudo, do Centro de Pesquisa em Arquitetura de Computadores, Sistemas Inteligentes e Robótica (ACSO/Uneb), já pesquisava a cooperação entre sistemas inteligentes de robôs autônomos, utilizando um desafio chamado Futebol de Robôs, há anos. A partir disso, os pesquisadores decidiram aplicar os resultados no projeto de drones autônomos. “Nós optamos pelos drones, pois vislumbramos várias aplicações com impactos socioeconômicos importantes que podem utilizar os drones autônomos”, diz Marco Simões.

De acordo com o professor, o projeto tem grande relevância porque vai ajudar a solucionar problemas complexos presentes no cotidiano da sociedade. “Por exemplo, no Brasil, temos problemas de saúde pública gerados por arboviroses, como Dengue e Zika. Uma das grandes questões é identificar os focos de mosquitos. Então, se for utilizado um time de drones autônomos sobrevoando uma região urbana, você consegue detectar potenciais focos, mapear e trabalhar de maneira colaborativa. Com isso, você já envia os agentes para os locais corretos, evitando procurar uma agulha no palheiro”, detalha.

A fase de teste com simulador foi finalizada e, segundo pesquisador, os primeiros testes com drones estão projetados para os próximos meses. “Vamos transferir a solução de simulação para os drones reais e as validações vão acontecer no final do ano, através da Competição Brasileira de Robótica, maior evento da América Latina”. O projeto, que ficou em segundo lugar no desafio de inovação da Petrobras 2021, tem na equipe os pesquisadores Ana Patricia Mascarenhas, Jorge Campos, Robson Marinho e Josemar Rodrigues, além dos alunos Ana Carolina Estrela, Filipe de Jesus, Rafael Argôlo e Tatiana Oliveira.

Bahia Faz Ciência

A Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb) estrearam no Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador Científico, 8 de julho de 2019, uma série de reportagens sobre como pesquisadores e cientistas baianos desenvolvem trabalhos em ciência, tecnologia e inovação de forma a contribuir com a melhoria de vida da população em temas importantes como saúde, educação, segurança, dentre outros. As matérias são divulgadas semanalmente, sempre às segundas-feiras, para a mídia baiana, e estão disponíveis no site e redes sociais da Secretaria e da Fundação. Se você conhece algum assunto que poderia virar pauta deste projeto, as recomendações podem ser feitas através do e-mail comunicacao.secti@secti.ba.gov.br.

Compartilhe agora: