Início Futebol “A saída para o Vitória é uma gestão eficiente e transparente”, diz...

“A saída para o Vitória é uma gestão eficiente e transparente”, diz Marcus Sarmento

Foto:reprodução

No próximo dia 02 de setembro ocorrerá uma reunião do Conselho Deliberativo do Vitória que vai analisar a votação do parecer da Comissão de Ética do clube acerca do relatório da Comissão Especial instituída através da Resolução 03/2021. A Comissão foi instalada para apurar denúncias contra a atual gestão do clube, como, por exemplo, suposta falta de transparência. Na mesma data, às 17h30, no Barradão, a Torcida Uniformizada Os Imbatíveis vai promover a manifestação #forapaulocarneiro.
 
O empresário e candidato a vice-presidente na chapa com Raimundo Viana, em 2019, Marcus Sarmento, defendeu hoje (23) que o Vitória necessita de uma nova gestão. Sarmento disse que o time precisa ser “passado a limpo” para superar as mazelas causadas pelos constantes episódios polêmicos envolvendo a Presidência de Paulo Carneiro. 
 
Marcus Sarmento têm proferido diversas críticas à gestão de Carneiro, sendo também a favor de uma intervenção do atual presidente. “O Vitória precisa ser passado a limpo para superar esse momento crítico e tão adverso que o clube vive em decorrência dos escândalos envolvendo o comando desastroso de Carneiro”, pontuou.
 
“O Vitória precisa de uma gestão eficiente, transparente e focada em resultados no futebol e para o clube como um todo. Este deve ser o compromisso de uma nova administração do Esporte Clube Vitória”, afirma Marcus. 
 
Sarmento é um empresário baiano que atua nos ramos da construção civil e da gestão hospitalar e suas empresas geram mais de três mil empregos. 
 
Atual gestão desastrosa
 
De acordo com Sarmento, o atual presidente do Vitória tem causado insatisfação à nação rubro-negra por constantes envolvimentos em polêmicas. E o Vitória está em 18⁰ lugar e na zona de rebaixamento da Série B do Campeonato Brasileiro.
 
Dentre as principais acusações que pesam contra Paulo Carneiro estão improbidade administrativa por ter supostamente forjado um contrato com o Vitória S/A para cobrar uma indenização de mais de R$ 800 mil na Justiça, acúmulo de função, visto que o atual presidente do Vitória era também diretor-presidente do Vitória S.A. É o que aponta a decisão proferida pela juíza Fernanda Marinho da Silva Godinho, da 11ª vara cível de Salvador, em 14 de dezembro de 2017.  No dia 15 de maio de 2021, Paulo Carneiro pediu o seu afastamento como diretor-presidente da empresa Vitória S/A.
 
 Há também denúncias de falta de transparência na gestão financeira do clube por ferir o estatuto e adiar por sete meses a apresentação do relatório das finanças de 2020.

Além disso, Carneiro também foi punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e condenado a pagar um valor global de R$ 111 mil (R$ 50 mil da conversão da pena e R$ 61 mil pela punição) em razão de uma confusão em campo em plena partida contra o Ceará, em agosto de 2020, quando invadiu o gramado para proferir ameaças contra o jogador Vinícius, ocasião na qual ele também descumpriu a diretriz técnica que versa sobre novos protocolos de segurança em função da pandemia, por não utilizar a máscara – acessório de proteção obrigatório.

Compartilhe agora:
Artigo anteriorFlávio Dino adverte que Bolsonaro tentará invadir STF ou Congresso, copiando Trump
Próximo artigoEstado da Bahia investe mais de R$ 60 milhões na construção de escolas em seis cidades