Início coronavírus Coronavírus: Petroleiros em plataforma a serviço da Petrobras são contaminados

Coronavírus: Petroleiros em plataforma a serviço da Petrobras são contaminados

Petrobras: a companhia até o momento não forneceu mais detalhes sobre a quantidade de trabalhadores contaminados (Germano Lüders/EXAME)

Foram registrados os primeiros casos de contaminação por coronavírus em uma plataforma de petróleo em operação na costa brasileira. Segundo as primeiras informações, parte dos mais de 50 trabalhadores da unidade estariam infectados numa unidade da empresa SBM Offshore afretada pela Petrobras, localizada na Bacia de Santos. Os testes desses funcionários deram positivo para o novo coronavírus.

Em nota, a SBM Offshore confirmou “que um número significativo de tripulantes a bordo de navio no Brasil testou positivo para o COVID-19.”. A companhia até o momento não forneceu mais detalhes sobre a quantidade de trabalhadores contaminados.

Mas segundo fontes do setor, dezenas de trabalhadores que estavam no navio-plataforma teriam apresentado teste positivo. Ainda segundo essas fontes, esses trabalhadores seriam transferidos para um hotel onde ficariam em quarentena.

Ao GLOBO, a SBM argumentou que, para garantir a privacidade dos funcionários, não informará a identidade dos funcionários infectados e nem a embarcação em que trabalham. A empresa informou apenas que eles estão recebendo atenção médica e sendo monitorados de perto.

e acordo com a SBM, algumas pessoas já desembarcaram e estão recebendo atendimento médico em terra. No entanto, a empresa não informou qual o número de trabalhadores que já deixaram a plataforma e nem o local em que estão abrigados.

A bordo no navio-plataforma estão sendo adotadas medidas preventivas de distanciamento social e reforço das regras para aumentar a higiene dentro do navio.

A SBM Offshore explicou que está mantendo contato próximo com as autoridades brasileiras e com seu cliente que é a Petrobras para gerenciar a situação.

A empresa ressaltou que implementou um programa de resposta global que monitora de perto as operações da companhia no mundo. E isso inclui o monitoramento das tripulações em sua frota e o gerenciamento de situações especiais, com adoção de protocolos com relação à prevenção e resposta a incidentes, com a criação de planos de contingência.

*Com informações do Globo e Exame.

Compartilhe agora:
Artigo anteriorRui envia para ALBA PL que obriga uso de máscaras para estabelecimentos comerciais no Estado
Próximo artigoGoverno Federal libera mais de R$ 100 milhões para Bahia; R$ 48 milhões será para Salvador